skip to Main Content
(88) 3511 - 6006          Rua do Horto, S/N, Colina do Horto, Casarão do Padre Cícero

Entrevista com a Irmã Matilde Tiemi Makiyama

Entrevista com a Irmã Matilde Tiemi Makiyama

Por: Francisco Mário (Jornalista)

No último dia 16 de janeiro, a Congregação Salesiana das Irmãs da Caridade de Jesus, em Juazeiro do Norte, teve a alegria de receber a nova diretora da Comunidade. Nesta cidade, as irmãs da Caridade de Jesus, residem e atuam no Horto do Padre Cícero, desempenhando diversas ações pastorais. Em entrevista, a irmã Matilde Tiemi, contextualiza a sua chegada.

Matilde Tiemi, irmã da Caridade de Jesus, próxima a uma imagem do Padre Cícero

Pequena Biografia/ Texto: Canção Nova

Francisco Mário: Irmã, vamos conversar um pouco sobre a Congregação. Quais são as motivações da congregação? Qual é o objetivo da Congregação? E qual seria essa relação que se tem com os Salesianos.

Irmã Matilde: A nossa Congregação é Salesiana, então a gente tem um vínculo familiar. O nosso fundador, Padre Antônio Cavoli foi um Salesiano. Se tornou salesiano por opção, era um padre diocesano. Resumindo a história, o padre Antônio Cavoli foi como missionário para o Japão, compondo a primeira equipe missionária, juntamente com o seu superior, Dom Cimatti, hoje considerado o cofundador da Congregação. Ali começaram um trabalho na paróquia e depois surgiu a necessidade de fundar uma congregação, porque eles eram estrangeiros e dentro do contexto de guerra; um contexto bastante complicado politicamente no Japão, nesse período, fundou-se a congregação, em 1937. Nós chegamos aqui no Brasil, há quase 50 anos e hoje, com esse desejo de expandir o nosso trabalho, descentralizarmos de São Paulo, onde nós temos a presença maior da província, estamos em Juazeiro, para colaborar na missão dos Salesianos, aqui no Horto e também, expandirmos mais um pouco, o nosso serviço de animação vocacional.

Francisco Mário: Irmã, ainda existe a Congregação no Japão, ou somente aqui no Brasil?

Irmã Matilde: Sim, existe e são quase 500 irmãs do Japão, mas nós tivemos, nos primeiros anos, um número muito expressivo de irmãs. Hoje, na realidade do Japão, os casais têm poucos filhos e os católicos não chegam a 1%, então hoje, está mais limitado. Então, graças a Deus, temos a média de 500 irmãs, no Japão e quase 500 irmãs também, na Coreia e em mais outros 14 países. No total, estamos em 16 países.

Francisco Mário: Com relação as questões pessoais, como a senhora conheceu a Congregação e como se deu a motivação primária?

Irmã Matilde: Eu conheci a Congregação, em uma das Missões das irmãs, elas não estavam presentes na minha cidade, mas foram fazer um trabalho missionário e uma das irmãs me convidou. Aí a gente começou a fazer contato. Fui conhecer a casa delas, em São Paulo, e aí me apaixonei pela vida Comunitária, de ver aquelas jovens, várias jovens, reunidas na alegria própria do Espírito Salesiano. Aquilo me encantou e confesso que desde lá nunca me arrependi. Então, é lógico que no decorrer do tempo, a gente vai amadurecendo e compreendendo realmente o que é uma vocação de consagração. Mas foi assim, que eu conheci, ainda sem muita maturidade vocacional. Mas ao longo do processo de formação, a gente vai amadurecendo, e confirmando um pouco mais essa identidade, esse Carisma, de ser salesiana. É uma vocação específica que Deus vai dando para cada um.

 

Matilde Tiemi, irmã da Caridade de Jesus, próxima a uma imagem de Nossa Senhora das Dores, na Casa da Congregação, em Juazeiro do Norte-CE

Francisco Mário: Observando a Congregação, algumas das irmãs que já passaram por aqui têm características orientais. Existe uma relação direta das irmãs, aqui do Brasil com o Japão?

Irmã Matilde: Sim, bastante! Porque, como falei, a Congregação foi fundada no Japão, e as primeiras irmãs vieram acompanhando os imigrantes japoneses e vendo que eles tinham dificuldades para se integrar na sociedade e também, para manterem a sua fé, então com esse desejo de ajuda-los, a sustentar a fé deles, também aqui no Brasil, foi que nosso fundador teve essa preocupação de enviar as irmãs. Então, meio que por conta disso, nos primeiros anos, as irmãs estiveram muito presentes dentro da comunidade japonesa. Tanto é que, ainda hoje, existe a Pastoral nipo-brasileira, e nós somos sempre, muito atuantes nessa Pastoral. Então, por conta disso, temos muitos contatos com a comunidade nipo-brasileira e daí também, as vocações vão surgindo.
A maioria de nós, ainda temos descendência japonesa, mas hoje com a graça de Deus temos missionárias também da Coreia. Inclusive, passou por aqui, uma delas, irmã Damian e temos a graça de termos uma Pernambucana, uma mineira, irmã Maria Sônia que está aqui, duas vocações já de Juazeiro, Luziane que ingressou no postulantado dia 2 de fevereiro e a Sara, que está indo para São Paulo para fazer o seu segundo ano de aspirantado, estará indo, dia 18 de fevereiro.

Francisco Mário: Hoje, quais são os objetivos principais da Congregação? Ação pastoral direta, ou mais uma missão contemplativa? Como seria essa identificação?

Irmã Matilde: Podemos dizer que somos uma congregação mais apostólica. Nosso carisma consiste em, levar o amor misericordioso de Jesus para todas as pessoas e não temos uma prioridade de atividades, mas avaliamos pela necessidade local, então varia muito. No Brasil, nós temos trabalhos nas paróquias, obras sociais e também escolas.

Francisco Mário: Como se deu a vinda da senhora para Juazeiro? Já existia um conhecimento prévio da obra e do lugar? Ou, por fazer parte da Congregação existe essa relação de disponibilidade para o envio?

Irmã Matilde: Todos nós consagrados, temos os nossos votos de obediência, mas é sempre uma obediência dialogada, feita com discernimento comunitário. Eu tive a graça de conhecer, de vir várias vezes visitar essa comunidade, por conta do meu trabalho de formação e de acompanhamento vocacional. Então, me sinto privilegiada, honrada de poder trabalhar aqui e espero poder contribuir, mas mais do que contribuir, eu tenho certeza que vou aprender muito, como já estou aprendendo, e vou crescer muito também, se Deus quiser.

Francisco Mário: Qual a função que a senhora atua hoje, na Congregação?

Irmã Matilde: Na nossa Congregação nós chamamos de superiora, em um linguajar mais salesiano, eu sou a diretora da comunidade, em Juazeiro. Nós somos uma comunidade de quatro irmãs, irmã Madalena, irmã Luiza e irmã Maria Sônia e eu faço o trabalho de coordenar a comunidade, no sentido de prover sempre o objetivo da nossa missão aqui, de estar ajudando nesse discernimento.

 

Matilde Tiemi, irmã da Caridade de Jesus, em frente à Casa da Congregação, na Colina do Horto, em Juazeiro do Norte-CE.

Francisco Mário: Quais são os trabalhos desenvolvidos aqui no Horto pela Congregação?

Irmã Matilde: Fazemos o trabalho principal, de acolhimento dos Romeiros, mas também, cuidamos da parte litúrgica das celebrações, organização, ajudando a coordenar essa dinâmica, e também, a parte pastoral, juntamente com os salesianos, naturalmente. Entre as atividades pastorais está a formação das lideranças, catequese, acompanhamento de batismos, também dos ministros da eucaristia, coroinhas, além de novenas as vias sacras, tudo o que acontece em termos de pastoral, de espiritualidade, aqui no Horto, nós estamos acompanhando. Já estamos atuando aqui a 8 anos.

Francisco Mário: Irmã, muito obrigado!

Back To Top