Horto

Em 2014 eu estava chegando em casa e encontrei meu filho Emanuel indo para a casa de um amigo tocar violão. Era 6h30 da noite, eu vinha do trabalho, não deu tempo nem tirar a roupa quando escutei um tiro. Dois elementos de moto abordaram meu filho pedindo o celular, só que ele não estava com o aparelho no momento. Daí veio o livramento de Deus: meu filho levantou as mão para cima com o violão, a bala atravessou e foi parar na mesa do santo. O susto foi muito grande. Ele caiu no chão gritando “não pegou em mim, graças a Deus”. Eu não tive dúvidas, foi um milagre. Logo pensei “esse violão não é mais nosso, vamos levar para a casa do Pe. Cícero hoje”. Estou muito feliz, pois Deus não desampara ninguém.