Objetos de devoção: sinais visíveis da nossa fé


A primeira coisa que dona Maria Justina fez ao chegar à Colina do Horto foi comprar um rosário e mandar o padre “benzer”. Para ela, o rosário é uma forma de testemunhar sua fé e sua devoção à Mãe das Dores, tão incentivada pelo Padre Cícero.

O costume de abençoar objetos de devoção como velas, crucifixos, medalhas, terços, escapulários, imagens do Senhor, da Virgem e de santos, é antigo. Para a Igreja, eles são considerados “sinais visíveis da fé”, recursos auxiliares para unir, ainda mais, o cristão a Deus, estimulando, desse modo, o progresso da fé.

O Padre Mariano, da Congregação Salesiana, explica que a bênção concede aos fiéis o uso dos objetos como sinais de fé e piedade. “É um gesto de amor e devoção quando você tem algo abençoado por Deus, pelas mãos do padre”, disse.

Na Colina do Horto, os objetos de devoção são abençoados, sempre, ao final da Santa Missa.

Anterior A esperança no "Padim"
Próximo Roteiro da fé romeira